Fosse a vida diferente

Fosse a vida justa
e não estaria aqui.
Viveria à custa
da beleza dum jardim,
todo ele enfeitado
por singelas margaridas
num fundo de relva,
onde ficaria deitado,
de pernas estendidas,
num cenário de selva,
contigo a meu lado.

Pinturas abstratas,
que sendo apenas
um segundo no espaço,
são a eternidade em mim.
A forma como me tratas,
com carinhos às centenas,
reúne de novo cada pedaço
de um puzzle sem fim.

Pesa-me o cansaço
o triplo do peso
quando não te tenho.
Não sei o que faço,
o que penso
ou de onde venho...

Não estou amarrado
mas sinto-me preso.
Sinto o coração enfeitado
por um sentimento obeso.
Parece que foi esfaqueado,
mas dei por mim ileso.
Era eu um fósforo apagado,
Agora intensamente aceso...
Sinto um calor apaixonado
e carinhosamente t'ofereço.